Video #1 #TourNulliusRelpinista

Video fresquinho contando a saga NulliusRelpinista por Belo Horizonte e Sabará...




Para quem quiser saber mais sigam @osrelpis @nulliusavarus ou no facebook http://www.facebook.com/relpis http://www.facebook.com/pages/Nullius-Avarus/96379382280


Quem é de Conquista não percam o Viela Sebo Café hoje a noite

Tour #4 y lo arribas muchachons #5 djia!

Lua Luou
Vento ventou
Rio correu pro mar
Foi beijar
As areias de lá...

Assim foi o pico do quarto dia Relpiniano na estrada, momento em que os ilustres Relpiniquins participaram do show de Marina Machado (que já é musa Rélpiniquista) junto aos companheiros das vivências do dia anterior, formamos um biutiful coral dançante, ressalvas ao regente Caiulbs Mani que comandou a festanxha.

Cantorias e canticos a parte, durante a boa tarde, tudo rumou bem, tranquilamente e regada a reflexões de bons pensamentos, projeções de vida e nossas atividades enquanto músicos, artistas, poetas deste novo tempo e geração... Temos praticamente a mesma faixa etária, nos identificamos com a atividade de fazer e viver de arte. Procuramos juntos, responder questões que envolvem nossas ansiedades, não em ânsia, mas atividade. Digo ainda que esta não é por mero fazer ou projeção pueril de concepções nada concretas. Agimos em reflexão conjunta, associando nossos universos particulares, tendo sempre em vista a realidade e o presente concreto, a nossa fome e a projeção de um futuro não para apenas nós mesmos, mas mundo melhor e consciente na prática e pensamento. Atividade.

Grande Salve ao mestre “Celso Moretti e banda Barraco de Aluguel” que em seu show anterior ao de Marina co´s Rélpinis deu boas explicações sobre o Reggae Favela e sua missão “Extilingue”, exibindo a arma personalizada aos tons do “Naya Being”, que atira ao invés de pedras, lança mensagens de amor e de um novo mundo, céu aqui na terra possível! Sonzera!
Seguida las danças del festivá Escambo, ajuntou-se o povo para a festança dos que trabalharam o tempo todo proporcionando a brincadeira toda. Em uma casa tombada logo ali no centro, satisfação total estar com os irmãos Sabarenses, que trampam e vivem de cultura, se expressando e produzindo meios para veiculação dos trabalhos produzidos em Brasir y el mundio!

Segunda feira seguiu-se, adios sabará com a promessa do retorno próximo, coisa boa foi fechar o role com o trio “Bassura” que com um Rock’n Roll suscinto e empolgante, cantarolado em melodias baixas e agudas, nos invocam na altura entre o estômago e o peito uma euforia melancólica que nos remete à ânimos grunge metal. Passeêmos pessoar! Bom encontro e companhia pelos próximos dias. Sozeiramos el mundjo! http://www.myspace.com/bandabasura
Rumamos assim à Belo horizonte, cidadão bunito e grande demais, salves ao irmão Lucas fora do eixoanístico que nos recebeu em sua casa.

A noite foi graciosa demais da conta, nos encontramos com “Tempo Plástico”, banda que compõe o coletivo “Queijo Elétrico” há já 4 anos, fazendo e vivendo de arte com toda força audiovisual multilinguagem. Nos gravaram e filmaram em sua base de trabalho, heita satisfação! Mineiros que fazem acontecer! Salve irmandade que nos significa a palavra “Ação”. Atividades de música nas ruas, flores nos becos, fotos e revistas, cenários e carnavais, rádio e filme constante, infinito.

Para nossa surpresa quem nos chega trazendo a melhor alegria do encontro, Marcião Relpiníquis e Blanca Avarus. Pra comemorar e sentir mais um pouco do ar mineiro, pastel e caldo de cana, a famosa “garapa”. Finesse com os irmãos Charchar, Lucas e Luís da banda “Festenkois”, sonzera de pegada full na adrenalina e convenções intensas repentinas.

Bom sono a nozes irmandade!

Musiquet em Sabará #2 dia del viaje juntio al #3 .

01h20min do dia 23, Pub Ponto Farol - Sabará - Minas Gerais, alí declamamos em altos e bons tons a satisfação em dar um role conjunto, aprendizado dum com o outro. Inúmeras potencialidades e afazeres, gostos e apreciações proporcionados pelo conviver coletivo que levamos em nós. Projeção a qual apresentamos e chamamos de banda. Prática que exige ouvir, muitas vezes calar e principalmente sentir, para quem sabe assim tornar uma melodia, inspiração fugaz e efêmera de um, em canção de todos.

35 minutos de apresentação proporcionadas por meses de afinco e disposição, enxergadas pelo reconhecimento de ver no companheiro que se faz chegado, motivo além do som que se identifica, mas sinergia que compõe e resulta em hibridismos expressivos: gosto com cheiro, visão com som, tato com inspiração, tudo pela busca do bom senso e equilíbrio. Identidades que se formam no e pelo encontro, não apenas de si para consigo, mas formação em “ser mais”, tolerante, sereno, equilibrado, consciente, ser mais humano.

Que venham os novos tempos de uma cultura universal e global, que propaga o bem estar social pautado na expressividade livre individual e responsável com os meios em que se propaga (para que eles continuem a existir e a vida não se faça efêmera na terra ou tenha apenas projeções condicionadas), expressão que se “torna” arte, por se fazer exigentemente compromissada com a realidade e não apenas um amuleto externo que ostenta e opõe identidades.

Salve convenção Fora do Eixo Minas Gerais que pudemos participar na sexta feira. Projeção que alia desenvolvimento tecnológico e filosofia, e que acredita que neste encontro rumamos sentido à humanização. Viva o multiculturalismo e a diversidade. Expressão à todos nós!

Salva de palmas ao “Festival Escambo” de Música independente em Sabará, promovido pelo Coletivo Fórceps. http://www.forceps.com.br/
Arriba meus irmãos, maravilhosa e recheada programação de festivá! Cidade linda, acolhedora, mineiríssima. Sexta feira foi recheada pelo bom passeio nas antiguissimas ruas de cascalho moldadas ao longo dos 300 anos de sua e nossa história. Observação ao tombo de Conrado embaixo da ponte...

Após show e bom descanso, damos salves à boa receptividade mineira que é fulgurante e exemplificada na exuberante sustança de sua culinária típica, pudemos provar disto aqui na convenção, quiabada, feijão tropero, angu, caldos suculentos, simpatia, alegria... Êita povo agradáver!

Hoje (dia 23) pudemos participar de uma oficina, com Marina Machado (cantora) e Celina B., com o título: “A imagem e o conceito de um artista”. A atividade foi um misto de experimentação performática e o palco tradicional, exploramos o corpo individual e ao mesmo tempo coletivo de maneira orgânica. Foram práticas sensíveis que muito tinham a ver com jogos cênicos que se aliavam a experimentações musicais em canto, e nestas por fim se tornaram técnicas. Chegamos à ideia que tudo é para um bom aproveitamento de nosso maquinário particular, o corpo, que apesar de mecânico, exige o trabalho sensível da apreciação e apropriação do veiculo expressivo que a tudo toca sem encostar, e o mais fácil de trabalhar, por ser inato. A “voz” e suas modulações, que movem montanhas segundo a bíblia ou transpassa e agrega corações.

Lá se foi nosso sábado, fomos à praça apreciar irmandade esperando el sonidos de Cabrueira, Jair Naves e o querido batera Marquinho, que venha domingo!

Salves Alves das aves naves!

Chegada de Nullius e Bortô!

Por uma anuância do destino, Bortõ, não pode iniciar a tour com Os Rélpis, mas já se encotra com a trupe relpinística. No caminho para Belo Horizonte, que foi acompanhado com Blanka da Nullius Avarus, o por do sol foi marcante...


... assim como os diversos caminhões da estrada sinuosa...


...amanhã enredamos mais histórias da bricolagem que está rolando por aqui!

Queijos...

Façam as malas, e vamos caminhar!

Depois de seis mil hectômetros, um banho de cachoeira e um rango do Paim, o trânsito Belo-Horizontino, Charchar e Teteu nos levam direto à noitada que abre o passeio musicado do mês rélpinistico de julho.

Saímos já na manhã do dia 21, com nosso automóvel vermelho ibísco abarrotado até as tampas, e fomos ao encontro do P.Lacuesta, que havia partido na noite anterior por não haver espaço no loucomóvel Rélpistico, e nos esperou pacientemente por 7 horas embaixo do belo pé de romãs Horizontinas .

Desbravando o curso do rio de pixe encontramos uma belezura de cachoeira, no momento em que o Sr. Mani desviava de um caminhão de couve-de-bruxelas, que são muito cultivadas na nascente do Ribeirão das Barangas. Lá paramos para fazer um lanchinho, outros tomarem um banho na queda da cachoeira para tirar a catinga da semana, e ainda nos sobrou tempo para lustrar os sapatos para a noite que viria.


Depois seguimos viagem por mais 2 horas até encontrar a cidade de bumbum saliente que tem o nome “Formiga”, onde Paim faz seus pratos mineiríssimamente recheados e seu famoso suco de laranjinha, que tem gosto de limão, e gosta de ser chamado de mexirica.

Seguindo para os últimos metros de viagem encontramos um trânsito monstruoso, que nos apossou quase 2 horas de pura paciência monja.

Quem nos recebeu na capital mineira e deu a chave da cidade foram os Srs. da Pegada Charchar e Teteu, que nos encaminharam à residência da família Charchar. Lá fomos regados pelo elixir da fruta proibida, tradicional da cidade, e muito bem recebidos pelos simpatissíssimos progenitores da casa, querida e querido, Nádia e Reinaldo.


Com o bucho cheio e as pálpebras descansadas após o pequeno tempo de adoção Charchar, pudemos nos dirigir à casa de shows Nelson Bordello, um ambiente muito agradável, com belíssimas obras permeando as paredes.

Fizemos uma saborosa passagem de som inspirados pelo belo horizonte que nos enche os ânimos e pinta de boa receptividade coletiva. Realizados no espaço/tempo e iniciando o momento de trocas e encontros, visionários e inspirados pelo bom e maravilhoso mundo novo!

Eram 00h13m47s quando soou a primeira nota da guitarra levando quentes vibrações psicodélicas pelo ar seco e gélido que a noite havia nos preparado, e preparação que nós à ela reservado. O sentimento que tocava o palco e ressoava nossos acordes era da mais pura cumplicidade em pulsar as expressões e ansias ali construídas. Nota-se que esses momentos são tão raros, pois só são possíveis com uma harmonia interna da banda, tida como premissa, e uma conexão desses atuantes com instrumentos sonoros e os outros, atuantes com instrumentos passionais.


z






Pura emoção, salves ao querido Bortô que esteve presente apenas em sentimentos e faltas de um fluido ressoar melodioso o qual nos enche de cores fulgurantes.

“Bertóla” songs pra virar a noite, e lá suingamos nós na explosiva sonoridade proporcionada pelos caros novos amigos.

Sabará foi o destino próximo para dormir em paz, que junto aos congressistas ativistas, molhados de reflexões, já repousavam e esperavam com camas répinisticas, já prontas para nós próprios. Eita seriedade! Valeu irmandade!

Segue-se o dia na cidade histórica, 300 anos de muita exploração natural, mas que hoje ergue-se com o solo revolvido e visionário. Terra engajada na resistência e propulsão da nova realidade global, virtual, seriamente real.

No cenário: “Festival Escambo”que às 2 de la madruga recebe-nos com muita graça e honra!







Três capitais em um mês!

Se resume tudo ao árduo trabalho e dedicação... Os relpinistas estão saindo do ninho e voando cada vez mais longe, neste último mês pisamos no solo de dois estados além do que vivemos.

No último dia 25/06 fizemos nossa primeira apresentação em solo carioca, foi no terceiro dia de Festival Fora do Eixo - Rio de Janeiro, no Teatro Rival.

No dia 01/07 foi a vez de São Paulo, cidade a qual que queremos cada vez mais, fomos convidados pela banda Ambulantes para acompanhá-los por uma noite no Espaço Urucum.

No próximo dia 21/07 estaremos em Belo Horizonte, iniciando a turnê que conta com mais sete shows seguindo por Sabará, Divinópolis, Vitória da Conquista, Governador Valadares, Ipatinga e Sete Lagoas.

Considero um marco atingido, três capitais em um mês e espero aumentar o número de cidades a passar...

2011-07-11 - ENEA - Bauru/SP


Olha lá!

Essas são algumas fotos do show que fizemos no ENEA em Bauru/SP no último dia 11!
Galera super receptiva e festeira, compareceram em peso pra assistir Os Rélpis e a Garotas Suecas!
A coisa esquentou em cima do palco e ninguém conseguia ficar parado! Muito bom!

























































O crédito das fotos vai para a nossa queridíssima Aline Paes!

;D



.